Balanço 2017/17 (2/6) – Os defesas

Capturar

Alex Telles – Época fantástica do nosso “assistente de serviço”, temi o pior quando se lesionou, mas felizmente foi apenas um grande susto. Voltou para a fase decisiva do campeonato e continuou a fazer aquilo que lhe dá prazer – entregar golos. É difícil de acreditar que não tenha nascido na Ribeira ou em qualquer outra zona do coração do Porto, este rapaz é Portista dos pés à cabeça. É um dos nossos e espero que continue a “fazer piscinas” pela lateral esquerda como se não houvesse amanhã.

Iván Marcano – Quem me conhece sabe que sempre acreditei no valor dele, é um jogador que cumpre, não inventa, tem imensa garra e vontade de fazer as coisas bem. Passou por um periodo menos bom no nosso clube, mas sempre acreditou que poderia fazer as coisas bem, merece muito este título, foi dos que mais contribuiu para ele. Não sei se vai renovar, mas é um atleta com uma postura extremamente profissional e que respeitou o FC Porto mesmo quando os adeptos não o respeitaram. Sei que é difícil, mas era muito importante mantê-lo no plantel.

Felipe – O nosso “vale tudo” que é um “vale tudo” fraquinho, levou sete amarelos e um vermelho na Liga NOS, ao contrario do “Rambo Dias” que apenas foi admoestado por quatro vezes com o cartão amarelo. Felipe, peço desculpa, mas és um “vale tudo” fraquinho. Falando de coisas sérias, Felipe fez uma excelente época, a dupla com Marcano voltou a ser de grande nível e apenas pecou numa fase que parecia começar a ganhar alguns tiques de Maicon. Pouco concentrado e a arriscar demasiado em zonas proibidas, tanto com a bola nos pés, como com os pés dos adversários. Em suma, espero que continue connosco visto que tem tudo para ser o patrão da nossa defesa.

Ricardo Pereira – Não sou muito fã deste rapaz, sinto que pode ser um jogador muito melhor do que é, tem tudo para o ser, mas acho que nunca vai conseguir sê-lo. Não defende bem, não ataca bem, mas faz tudo o resto de forma brilhante. É estranho dizer isto, mas Ricardo não cruza bem e não define bem a atacar, mas consegue descobrir espaços de forma magnifica e entende-se bem com o extremo ou médio mais interior. A defender, tem demasiadas dificuldades quando tem que flectir para o centro, dá sempre demasiado espaço, mas ao mesmo tempo consegue recuperar defensivamente como nenhum outro. Portanto, Ricardo não é o melhor defesa direito nem o melhor extremo direito, mas é de longe o melhor “faz o corredor direito todo” do futebol Português. Foi muito importante para a equipa e agora que já foi transferido, espero que tenha muita sorte na sua aventura Inglesa, estarei aqui a torcer por ele.

Diego Reyes – Aproveitou todas as oportunidades que teve para mostrar serviço, compreende-se que devido à concorrência fosse impossível ter outro protagonismo. Marcou três golos durante a época e demonstrou um compromisso e espirito de equipa impecáveis para quem não vai renovar o seu vínculo. Não será uma grande perda para o FC Porto, acho que embora seja um bom jogador, não tem o suficiente para ser um indiscutível.

Maxi Pereira – Se havia jogador neste plantel que queria ser campeão, Maxi era um deles com certeza. Saiu das garras do polvo para vir para o lado bom da força, aqui ele entendeu que para ser verdadeiramente campeão é necessário lutar contra tudo e contra todos. Tenho a certeza que se um dia perguntarem ao Maxi quantas ligas Portuguesas ele conquistou, a contagem será certamente a partir de 2017/18. Maxi personificou a experiencia, a garra, a traquinice que um jogador tem que ter, ajudou-nos muito e ainda pode fazer muito mais neste clube. Agora só falta olhar para o exemplo de Casillas, renove contrato a ganhar muito menos e ajudar Dalot a tentar ser o melhor do mundo.

Miguel Layún – Aos poucos foi perdendo importância na equipa, de facto não é um fora de série e a concorrência não lhe deu hipóteses de ser mais utilizado. Encontrou no Sevilla um clube que lhe permitiu manter a competitividade para encarar o próximo mundial. Não sei se volta ao FC Porto, acho que poderíamos fazer um bom encaixe financeiro com ele.

Diogo Dalot – Este moço além de ser um atleta extraordinário, é um adepto dentro do campo. Todos os nossos sonhos de sermos jogadores do nosso FC Porto estão condensados na mente de Dalot. O futuro só pode ser brilhante para alguém que acredita tanto nele como no clube que ama, espero que fique os anos suficientes no nosso clube para que aproveite o seu sonho sem olhar à parte económica, essa vai chegar de certeza absoluta. Espero estar aqui no próximo ano a tentar inventar palavras para caracteriza-lo…palavras boas diga-se!

Osório – Claramente o melhor central do campeonato. Ok, estou a brincar. Osório tem a próxima temporada para olhar para esta frase e obrigar Felipe a lutar pela titularidade como o Rúben Dias luta por arrancar dentes dos adversários à paulada. Sei que os minutos que esteve em campo foram fraquinhos, mas quem não perdoa 72 minutos não é filho de boa gente.

 

Advertisements

Balanço 2017/17 (1/6) – Os guarda-redes

Capturar

Agora que a temporada 2017/18 chegou ao fim, é hora de fazer um balanço sobre os campeões nacionais, vamos começar pelos senhores que lutaram pelo nosso símbolo dentro das quatro linhas. Esta análise vai ser dividida por seis partes, hoje é a baliza que vai merecer o meu destaque.

Iker Casillas – É o melhor GR Espanhol de todos os tempos e faz do FC Porto o clube que tem na sua história os dois melhores porteiros que a península ibérica alguma vez viu, Vitor Baía e Iker Casillas, claramente que isto não é para qualquer clube.
Casillas demonstrou esta época toda a sua humildade quando, após cometer um erro, “aceitou” discutir a titularidade com José Sá, lutou por ela, conseguiu-a e após isso nunca mais a largou. União, humildade, qualidade e espirito de sacrifício são as qualidades que fizeram deste FC Porto campeão, qualidades essas que adjetivam muito bem o atleta e o ser humano que é Iker. Enhorabuena te quedas com nosotros 😊

José Sá – Foi durante um período de tempo o dono da nossa baliza, diga-se que para quem teve um Iker Casillas a fazer sombra e toda a pressão que caiu sobre ele, até nem esteve nada mal. Tem que ser paciente e continuar a evoluir, faz-lhe falta uma época como indiscutível na baliza de um bom clube para, após isso, encarar a titularidade no nosso clube e outra forma.

Vana – A nossa única contratação no mercado de verão, é mesmo isso, começamos a época apenas com Vana na folha de transferências. Foi praticamente um espectador privilegiado durante toda a temporada e acaba por ser também campeão nacional. Um sujeito com muita sorte!

Fabiano – Muitos adeptos só repararam que Fabiano ainda estava no plantel quando ele entrou para jogar “os 10 minutos mais importantes da carreira”. Era o único jogador deste plantel que sabia o que era ser campeão no FC Porto, os 10 minutos finais foram um presente merecido para alguém que teve sempre uma postura exemplar de Dragão ao peito.

Polvo cozinhado no caldeirão tem que fazer do FC Porto campeão!

golo_marega_maritimo_290418 (2)

Oh pá, que alegria!

Nem sei muito bem o que escrever, mas Marega esta recaída que tive das dores de garganta tem um culpado e tu sabes disso, a tua sorte é que és um ser vivo fenomenal! Um jogo complicadíssimo, esta cena da madeira é um case study, parece que nada corre bem, mesmo com mais um jogador em campo estava a ver que não iríamos conseguir ganhar, mas ganhamos e o resto é treta!

Calcanhares

Todos nós: Não somos 6 milhoes, somos apenas UM, todos unidos num só clube…o Futebol Clube do Porto. E tanto orgulho que temos nisso.

Roscas

Os outros: Todos os que não são Portistas. Nunca saberão o que sente um adepto do FC Porto perante um país que o odeia, não existe qualquer tipo de explicação. É um sentimento que nem sequer tem palavra para o classificar.

 

OH MAREGAAA! OH MAREGAAA! OH MAREGAAA! VAI CHUTAR E VAI MARCAR! 🙂

Porto sempre!!!!

Cozinhar o polvo no Caldeirão

c077383b421e4d5d353e1ca019ea633f

Meus amigos, chegou o grande momento deste fim de época, o jogo no caldeirão dos Barreiros. Um estádio que tem sido de sorte madrasta para a nossa equipa, pode ser o local do quase check-mate no campeonato, mas temos uma grande batalha pela frente, o benfica da madeira ergue-se perante nós tal como Salvador se ergueu perante o dirigente do Sporting na última assembleia geral da liga. É hora de usar a força que a equipa tem recebido dos adeptos e lutar até à última pinga de suor, o polvo é grande, é bravo, é rijo e tem muitos tentáculos, nada melhor que um caldeirão para o cozinhar em lume brando para servi-lo à família Portista no próximo fim de semana!

Tem a palavra Sérgio Conceição…

Foi uma goleada por 5-1

Capturar

Não sei o que disse Sérgio Conceição na conferência de imprensa, mas se eu fosse treinador do FC Porto era desta forma que descrevia o jogo: “Foi uma goleada de 5 a 1”!

Calcanhares

Todos: Todos os jogadores, funcionários, dirigentes e adeptos do FC Porto. Se na antevisão do jogo dizia que só unidos iríamos conseguir ganhar, é assim que vamos continuar! Falta menos um jogo…

Azul e branco é o coração!

Porto sempre!

Uma taça que foi de penálti…

Capturar

Detesto pontapés de penálti, grandes penalidades, penalties, penaltys e qualquer outra expressão que signifique chutar uma bola parada a 11 metros da baliza! Hoje, mais uma vez, fomos eliminados por essa peste. Acho que pagamos bem alto a factura do jogo do campeonato, só espero é que isto não tenha um efeito bomerang, até porque nós não merecíamos isto mas acabamos por merecer. E tu, meu amigo Sérgio, és um dos grandes culpados.

Calcanhares

Não faço ideia: É que não faço mesmo!

Roscas

Sérgio Conceição: Então caralho? Ganhas um jogo na luz porque foste corajoso, porque soubeste que quem joga para ganhar arrisca-se mesmo a ganhar e fazes esta merda em Alvalade? Com Herrera e Sérgio Oliveira em campo, que tão bem sabem jogar juntos, vais colocar um perdido Reyes a atrapalhar? Puxas a equipa para trás? Sinceramente nem parece teu.

Marcano:  “Há dias de manhã em que uma pessoa à tarde não pode sair à noite…” acho que isto resume tudo aquilo que se passou contigo em campo!

 

Nota final: Agora é concentração máxima no grande objectivo da época, todos os segundos de jogo são para serem encarados como os mais importantes das vossas vidas!

Porto sempre!